Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

31 da Sarrafada

31 da Sarrafada

18
Jun10

Uma carta aberta a Mário David, deputado Europeu do PSD

FF

Após várias tentativas de contacto por e-mail, que não obtiveram qualquer resposta, deixo aqui esta carta aberta ao único deputado europeu Português que pode fazer, também ele, a diferença neste caso.

 

Exmo. Mário David,

 

Desde a sessão de Maio do Parlamento Europeu, um considerável número de Deputados do Parlamento dos grupos políticosPPE , S&D, ALDE e G-EFA retiraram as suas assinaturas da Declaração Escrita 29 "Declaração escrita sobre a criação de um sistema de alerta precoce europeu contra a pedofilia e os abusos sexuais" [pdf]

 

Esta Declaração pretende apoiar um sistema de monitorização para protecção das crianças de ataques através da Internet. O objectivo em si é louvável e necessário (se bem que mais esforço se deveria colocar na formação dos encarregados de educação para que possam, eles mesmos, fazer o seu papel de que tantas vezes descartam no acompanhamento dos seus filhos na Internet).

 

O  mais preocupante do documento é o facto de,  em um dos seus parágrafos,  se fazer menção à Directiva de Retenção de Dados somente através do número de referência 2006/24/EC, ou seja de uma maneira dissimulada o que levou muitos deputados europeus a assinar esta Declaração para depois retirar a sua assinatura  quando foram alertados para o facto de a mesma incluír esta Directiva.

 


 

É claramente contraditório querer apoiar um sistema de aviso precoce e querer ao mesmo tempo reter os dados obtidos durante 2 anos, tal como estabelece a Directiva de Retenção de Dados presente na Declaração Escrita 29. Mais ainda quando o sistema de  preservação de dados estabelecido pelo Convenção de Cibercrime do Conselho Europeu foi desenhado especificamente para esse fim.

 

Não é apropriado que o  Parlamento tome agora uma posição sobre esta Directiva pelas seguintes razões.

  • A Directiva foi fortemente criticada pelo Parlamento (LIBE rejeitou a retenção de dados três vezes) e a legislação foi somente adoptada após grande pressão do Concelho,
  • Tem havido sérios problemas de implementação na Àustria, Bélgica, Alemanha, Grécia, Roménia e Suécia, devido ao facto de que os tribunais constitucionais concluirem que a Directiva põe em causa os direitos fundamentais dos cidadãos,
  • A implementação da Directiva está actualmente a ser revista, significando que é inapropriado e possivelmente contra-productivo o pré-julgamento deste processo por parte do Parlamento,
  • A Directiva já foi referenciada ao Tribunal Europeu de Justiça;

Por estas razões peço-lhe que retire a sua assinatura da Directiva Escrita 29.

 

Com os melhores cumprimentos,

Fernando Fonseca

 

 

PS: Se assim o desejarem podem fazer uma cópia deste texto e enviar ao deputado Mário David: mario.david@europarl.europa.eu

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2011
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2010
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2009
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D